vai a curitiba? vaia, curitiba!

29, março 29UTC 2007 às 10:38 am | Publicado em curitiba | 12 Comentários

bonequinho_pe.gif

Hoje é o aniversário de Curitiba. Aqui na aniversariante está ocorrendo o maior festival de teatro do Brasil, talvez de toda a América Latina. E um dos eventos que ocorre no Festival de Curitiba é o Risorama, um show de humor na linha do stand-up comedy.

Engraçado que o público que costuma freqüentar as centenas de peças que compõe o Festival é muito diferente dos freqüentadores do Risorama. Os primeiros usam roupas coloridas e folgadas, sandálias Havianas no calor (e cachecol no frio) e uma bolsa de couro cru a tira colo. Os segundo vestem roupas justas e escuras, salto alto e bolsas combinando com o sapato.

Bom, até aí tudo bem. A pergunta é: qual dos dois públicos é mais curitibano?

É freqüente o fato de que todo grande show ou peça de circuito nacional tenda a estrear em Curitiba. Diz-se que a razão é porque Curitiba tem um público crítico e, por isso, se o espetáculo for bem sucedido aqui, irá decolar no restante do país. Não sei, a impressão que tenho é que o público curitibano é até permissivo demais. Dificilmente alguma peça de nível mediano não é aplaudida de pé. Aplaudir sentado em Curitiba deve corresponder à vaia em outras cidades. Por isso acho mesmo que as estréias em Curitiba devem ser mesmo devidas ao medo de queimar o filme logo de cara.

Nunca vi curitibano vaiando. Até ontem. Como queria faz tempo assistir ao show de humor do Diogo Portugal sem precisar chegar quatro horas antes (como é necessário fazer para assistir ao seu show costumeiro nas terças-feiras), comprei um ingresso no Risorama. Apresentaram-se no Risorama vários comediantes, todos com piadas geralmente boas, rápidas e diretas. Puro entretenimento. A casa lotada ria mesmo das piadas conhecidas e sem tanta graça assim, talvez graças à boa quantidade de álcool que circulava entre as mesas do clube onde estava sendo realizado o show.

No entanto, quando entrou a atriz Grace Gianoukas, interpretando Cinderela (um dos sucessos do YouTube), o público começou a dispersar. Falava durante apresentação, dava as costas, levantava-se. O texto exigia um pouco mais de raciocínio e exibia uma crítica ácida, longe do humor direto e rasteiro e não foi acompanhado pela maioria. Os presentes pareciam ignorar que aquela atriz era a responsável pelo famoso espetáculo Terça Insana (sucesso em DVD e na internet) e uma das pioneiras neste tipo de humor no país. Pior foi quando ela voltou posteriormente com um outro quadro, a Santa Paciência. Neste era visível a dificuldade de concentração da humorista perante tanto barulho, a perda do timing e as tentativas de recuperar a platéia aumentando o tom de voz ou fazendo interrupções nitidamente fora do texto. Alguns assobiavam pedindo para que acabasse e se ouvia algumas vaias. Não sei se isto fazia parte do texto (já que o objetivo do personagem era realmente ser chato), mas última fala da Santa Paciência foi:

– Vou fazer o que todos vocês querem, vou embora.

Mais vaias. Me senti envergonhado. O quadro era bom. O público não entendeu, não queria pensar e não sabia comportar-se como platéia. Se o público curitibano nunca vaia, escolheu a hora errada para começar.

No que respondo minha pergunta, este não era um público de Curitiba. Era um público atípico, mais atrás de balada do que de cultura.

Ao final, todos os atores voltaram ao palco e Grace, numa demostração de grande maturidade, agradeceu a todos e parabenizou a cidade por iniciativas como o Festival de Teatro.

É. Tem curitibano que não merece Curitiba.

12 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. É Leandro!
    Compartilho com você essa sensação estranha que é fazer parte de uma platéia que, às vezes, não reconhece o valor de um ator.
    Eu também estava lá e confesso que senti vergonha…

    Abraço,

  2. Gente mal educada tem em todo lugar, infelizmente.

  3. reconheço o valor da atriz Grace na comedia, e se não por ai, pela sua idade e tempo de estrada..mas a vaia foi valida…as cenas dela foram muito ruins, e Curitibano sabe o que é bom…o dela não foi…

  4. Não foi uma questão crítica ou opinativa nenhuma. O humor dela não é mais inteligente que o humor de ninguém.
    A quarta-feira e as outras noites tiveram humoristas de diversos estilos e nenhum recebeu a vaia que ela recebeu. ELA É RUIM E PONTO FINAL!

  5. Gostei do post, e de seus resultados (inclusive da polêmica). Como vc sabe, estou tentando entender o que é esse bicho chamado ‘curitibano’, rsss

  6. A Gracie é um ícone de humor inteligente, que particularmente, eu prefiro. Eu acho que pior que vaiar uma pessoa que não merece, é não vaiar quem realmente merece, ontem dia 29/03 o “humorista” Carlos Nunes foi péssimo, totalmente sem graça, exagerou no tom de voz, nas caretas, perdeu o tempo das piadas, além de velhas, esse sim merecia uma grande vaia.

  7. Compartilho o desconforto em ver todas as peças sendo aplaudidas em pé! Parece que o ato perdeu o significado….

  8. Eu não sabia que a Gracie tinha sido vaiada dentro do risorama. Eu lamento muito, pq acho ela uma das melhores comediantes do Brasil.A cinderela é perfeita, não conheço esse outro personagem dela. O público que vai ao risorama quer coisas mais prontas, que não precise pensar. O humor da Gracie é uma coisa mais refinada, “um humor negro” e poucas pessoas gostam disso. Para quem gosta da Gracie, ela estará dia 05 e 06 de Abril com sua trupe da “Terla-insava” no teatro guaira.

  9. Quero dar a minha opinião sobre o caso:
    O Risorama é um festival maravilhoso que agrada a todos os tipos de humor…. Tem desde os humoristas que fazem, com muito talento, as tradicionais piadas de bar, até àqueles que preferem o humor mais trabalhado com críticas do cotidiano.

    Mas a verdade é que a humorista citada neste tópico foi realmente muito infeliz. Eu confesso que tive dificuldade para entender o que ela dizia. Ela estava acelerada e completamente fora do tom.

    Quero deixar claro que ela não foi infeliz pelos assuntos abordados, afinal, eu mesma vi no festival uma série de humoristas com piadas ácidas, humor rebuscado e muito inteligente. Ela foi infeliz porque simplesmente NÃO TEVE GRAÇA!

    NÃO É UMA QUESTÃO DE HUMOR INTELIGENTE PORQUE ISSO O RISORAMA TEM SIM… ELA SIMPLESMENTE NÃO TEVE GRAÇA!

    Ao público não interessa a história pregressa (como o destacado pela pessoa acima) ou uma sofrida história de vida, o platéia quer rir de bons comediantes.

    Quer entreter com sofrimento? VAI NO PROGRAMA DA SÔNIA ABRÃAO!

    Vida longa ao Risorama, o melhor festival de humor do Brasil!

  10. Quem conhece um mínimo de teatro sabe:
    Comédia e teatro infantil são os gêneros mais cruéis: simplesmente funcionam ou não funcionam.

  11. Considero o Terça insana uma das melhores oportunidades para encontrar ótimos quadros de humor e humoristas excelentes, e Grace merece o crédito pela iniciativa.Tenho o DVD e considero Cinderela um personagem difícil de agradar…Não pela “inteligência” do assunto, mas pela interpretação mesmo…Talvez ela ainda não tenha conseguido o que Roberto (o outro autor idealizador) parece ter de cor…a escolha dos personagens certos para o seu tipo de humor. Mesmo assim, a vaia foi falta de respeito, bastaria assistir com respeito, e a exemplo do que fiz na primeira vez, ouvir até o fim respeitosamente, mesmo sem achar graça.

  12. Desejo oportunidades para fazer humor, tenho e adoro a materia,

    abraço


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: