revistas e jornais de sacanagens

4, dezembro 04UTC 2007 às 7:54 pm | Publicado em cotidiano, meandros | 3 Comentários

No ano passado a revista Veja publicou em suas páginas uma charge do cartunista gaúcho Santiago, que realizava uma interessante crítica à revista. O detalhe é que a Veja publicava sem a sua autorização, o que configurava mais uma de suas sacanagens. Lembram?

santiagovejamg8.jpg

Pois bem, novamente o Santiago (um dos melhores profissionais do traço do país, em minha modesta opinião) é alvo de mais uma sacanagem. E das grandes. De acordo com o Blog dos Quadrinhos, o Jornal do Comércio vetou suas charges e o demitiu depois de charges como esta:

chargesantiagoblog.jpg

O principal argumento para a demissão é que ele não poderia fazer um desenho sobre o lucro já que o jornal não era contra o lucro. Eita, sei de coisas bem parecidas na didadura… E viva o mercado com seus lucros pornográficos!

Bastante pertinente o comentário do Orlando Pedroso, outro dos grandes, retirado do Blog dos Quadrinhos:

eu não poderia jamais defender qualquer ato de censura, especialmente dentro da imprensa. mas, tentando preservar o distanciamento que o tempo nos dá, pro bem ou pro mal, a censura da ditadura tinha, digamos, uma ideologia. ela tinha uma meta que era impedir o avanço comunista no brasil. o que me parece hoje e, especialmente agora com essa dispensa lamentável de profissionais de primeira linha, é que a maioria dos jornais está se lascando para censura ou não desde que seus tablóides lhes sirvam como balcão de negócios. a ideologia é o mercado e nada mais burro que isso. se jornais se tornam cada vez mais classificadões de construtoras, cadernos de serviços em geral, nada mais óbvio que dispensar a opinião de jornalistas e chargistas. se olharmos pela ótica do mercado, isso não é censura mas sim “adequação”. eles não servem mais, são escanteados. é uma pena. salvo as honrosas exceções, jornais não sabem mais pra que servem. trazem pela manhã notícias requentadas e deixaram os textos analíticos pra trás por falta de leitores interessados. talvez ainda forrem gaiolas. sendo assim, jornais não precisam de chargistas e, muito provavelmente, às duras penas chargistas deverão dar a volta, re-inventar a roda e descobrir que também não precisam mais deles.

Deixo agora a palavra com próprio autor por sua charge publicada no dia de hoje no A Charge Online.

santiago.jpg

Santiago, boa sorte em seus novos meandros…

3 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Uma pena que, além de tudo, não seja um caso isolado. Neste final de semana estava rolando o Londrix – festival literário de londrina – por aqui, e o jornalismo foi bastante debatido. O que não faltou foram casos como este…

    beijos

  2. Naquela ocasião, o Santiago se manifestou contra a atitude da revista. Algo que praticamente não ouvimos falar.

    Ficaram muito bons os meandros da manifestação do Santiago, de alto nível, diante do que fizeram com ele!

  3. Inversão de valores. Eu disse, quem tem olho em terra de cegos é rei, mas um rei morto na fogueira. Infelizmente.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: