lições que a vida me ensinou

18, maio 18UTC 2009 às 9:39 pm | Publicado em cotidiano | 8 Comentários

cotovelo.

Creio que devo satisfações devido a quase um mês sem atualizações neste espaço.  Sendo destro, quebrei o braço direito (na verdade o cotovelo) em um acidente bobo de bicicleta (onde o agressor, a vítima e o socorrista eram a mesma pessoa). Se isto não me impediu de levar a vida normalmente (se levar a vida normalmente significa não fazer nenhuma atividade física de impacto moderado, não desenhar, não tocar violão e/ou jogar Nintendo Wii), ao menos tornou mais lenta algumas atividades (as que envolviam digitação, por exemplo), deixando uma pilha de atividades por fazer que estou tentando atualizar agora.

Esclarecido, seguem abaixo precisas lições de vida que não são generalizáveis para ninguém. 

 

1. O braço esquerdo é capaz de coisas que o direito nem imagina.

 

Um pouco de treino e o lado sinistro acaba se revelando. Me orgulhei muito de conseguir ser legível escrevendo no quadro e de passar desodorante sozinho em ambos os sovacos.

 

2. As pessoas (não-motoristas) são prestativas no ônibus

 

Uma tipóia e gesso visíveis conseguem facilmente lugar para sentar. O segredo é o contato visual com as pessoas sentadas nos assentos preferenciais.

 

3. Os motoristas (não-pessoas) não são prestativos no ônibus

 

O aviso sonoro de “porta fechando” nos biarticulados era um alerta para tomar uma decisão rápida entre desistir de entrar/sair no ponto certo ou arriscar perder o que sobrou do braço em recuperação. Mais ou menos como um Dante chegando no inferno: “Deixai toda esperança nas portas 2 e 4.”

 

4. Cansa repetir a mesma história 1.542 vezes

 

Compreendia e agradecia a empatia de todo mundo ao me ver engessado, mas confesso que chegava às vezes ser irritante contar a mesma história sempre.  Por isso criava várias versões e até inventava algumas bem diferentes. Mas na maioria das vezes contei a mesma coisa. Pensei seriamente em colocar como aconteceu o acidente todo em detalhes em algum site (com fotos, simulações em 3D e depoimentos) e entregar o endereço para quem preguntasse. Seria menos trabalhoso. Mas bem menos empático da minha parte.

 

5. O capacete é importante

Eu já sabia, mas a hipótese só foi corroborada. Se não fosse por ele, era a cabeça que estaria engessada.

 

6.  Todos tem uma história sobre acidente de moto

Ouvi algumas vezes o comentário (idiota): “é por isso que não ando de bicicleta”. Mas ouvi muito mais sobre fraturas e sérias consequências de acidentes com motocicletas. Caindo da bicicleta, fraturei o cotovelo, mas não precisei de cirurgia, bastou esperar que o corpo cuidasse de si. De moto talvez nem o capacete desse conta e nem haveria cotovelo inteiro para contar a história.

Pronto. Agora que cotovelos estão inteiros e na impossibilidade que eles tem de se expressar, falarei, enfim, pelos cotovelos.

8 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. “Deixai toda esperança nas portas 2 e 4.”

    Não tive como não rir disso, mas é verdade e quem não vai descer do ônibus não desobstrui as saídas…

    E acidentes de motociclistas são os piores, acho que piores que os de carro.

    Mas sobre a sua fratura: “Ruim de viver, mas bom de contar.” Mais uma história para contar aos netos! ^^

  2. Você foi tão convincente sobre os aspectos positivos de se quebrar o braço que to pensando seriamente em cair de bike.

  3. Ficar sem o nintendo wii deve ter sido a coisa mais difícil (brincadeira). Quebrei alguma parte do meu tornozelo jogando futebol e sei bem como é isso de ter de explicar o acidente tantas vezes, eu ia pintar no gesso a maneira que caí e o tornozelo se foi, acabei desistindo, era mais divertido inventar para as pessoas como quebrei. “Deixai toda esperança nas portas 2 e 4” ótimo, uma amiga dizia que no inferno as pessoas tem de andar de Inter 2 o tempo todo e em horário de pico. Estamos aguardando essas vozes pelos cotovelos então.

  4. Prefiro as lições do Bruno!

  5. Mas como foi o acidente? Brincadeirinha, não fique bravo.

  6. Então, fui seguindo o curso do rio e cheguei aqui no seu meandro. Sei que você gostaria de saber onde ele leva, mas eu gostei muito daqui. Parabéns.

  7. Não adianta Meandros, tem gente que consegue ser especial até nas adversidades. Consegue tirar bom-humor e ver uma oportunidade de aprender até quando a vida fica um pouco mais dificil.

    Obrigada por se preocupar em compartilhar a tua experiência conosco.

    Sobre acidentes de moto, eu sendo a responsável pela saude no local onde trabalho, sempre brinco os principais “problemas de saúde” de lá são:
    3º – Acidentes de Moto
    2º – Futebol
    1º – … (Não vou publicar aqui para não arrumar inimizades… rs)

    Um abraço (agora com os dois… rs)

  8. […] fratura já consolidou e estou quase com todos os movimentos recuperados. Quebrar o pé é pior que quebrar o braço. Já é minha sexta fratura ao longo da […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: