tecnicamente falando

26, fevereiro 26-03:00 2009 às 2:01 am | Publicado em curitiba | 4 Comentários

cidadeA primeira medida do prefeito em exercício Beto Richa quando, na condição de vice,  substituiu o então dono do cargo Cássio Taniguchi foi baixar o preço da passagem de ônibus. Uma manobra tipicamente eleitoreira, ganhou as eleições que seguiram. Agora foi re-eleito. A primeira medida do re-prefeito foi aumentar  a passagem de ônibus.

Mas sua popularidade continua imbatível. Boa parte dela se deve à fama de sua equipe técnica, com as melhores soluções para a melhor cidade. Mesmo que não solucione os problemas, são as melhores soluções. É o que está presente no discurso do IPPUC e da URBS, como bem apontado pelo Catatau em seu post sobre os meandros da pracinha do Batel e afins:

As mocinhas da RPC às vezes se esforçam entrevistando o coordenador da URBS, que recorrentemente apenas sabe dizer que o transporte público de Curitiba é o “melhor do mundo” (sic!), e melhorias localizadas em terminais aumentarão globalmente a qualidade do transporte.

O principal argumento, entretanto, não é esse: trata-se do “fato” de existir horário de pico! Ora, o transporte está ruim porque existe horário de pico. Retiremos o horário de pico, que o transporte voltará a ser bom!

Talvez nossa autoridade da URBS considere que, por extensão, a população de Curitiba deveria diminuir, para que os ônibus, em horário de pico, sirvam melhor. Ou mesmo, poderia-se mudar todo o regime de trabalho da capital paranaense, criando uma reação em cadeia que afetaria milhões de pessoas, para que não se interfira nada nos ônibus. Eles estão bons, o resto é que está ruim.

Agora, o curioso disso tudo é que Jane Jacobs, em seu ótimo livro “Morte e Vida das Grande Cidades” (2007, p.6), em que faz uma  severa crítica às cidades americanas das décadas de 1950 e 1960, parece estar falando dos técnicos da URBS e do IPPUC:

Planejadores, arquitetos do desenho urbano e aqueles que os seguem em suas crenças não desprezam conscientemente a importância de conhecer o funcionamento das coisas. Ao contrário, esforçaram-se muito para aprender o que os santos e os sábios do urbanismo moderno ortodoxo disseram a respeito de como as cidades deveriam funcionar e o que deveria ser bom para o povo e os negócios dentre delas. Eles se aferram a isso com tal devoção, que, quando uma realidade contraditória se interpôe, ameaçando destruir o aprendizado adquirido a duas penas, eles colocam a realidade de lado.

Vou dar uma olhada no que significa autenticidade (por aqui está meio difícil de encontrar). E já volto.

Anúncios

(re)cidade

12, novembro 12-03:00 2008 às 9:20 pm | Publicado em curitiba | 1 Comentário
Tags: , ,

Desligue a televisão.

Desligue o computador.

Saia de casa para retomar o que é seu.

Venha praticar formas de reutilizar o espaço urbano

(e tornar o convívio com a cidade mais próximo e criativo).

.

recidade

.

Indo contra a corrente da privatização do espaço público. Ou como aproximar a casa e a rua.

Mais info aqui.

mire o muro II

26, outubro 26-03:00 2008 às 7:17 pm | Publicado em curitiba | 5 Comentários
Tags: , ,

E nos muros da cidade a discussão continua…

.

Sobre a obrigatoriedade do cristianismo.

.

Sobre o provável motivo da venda do imóvel.

.

Sobre a gratidão de um gentil convite.

ainda fumegando

6, outubro 06-03:00 2008 às 9:12 pm | Publicado em curitiba | Deixe um comentário

Charge do Marco Jacobsen

começaram as eleições municipais

5, outubro 05-03:00 2008 às 9:01 pm | Publicado em curitiba | 3 Comentários

Cartum do Andy Singer

As eleições municipais deste ano já haviam terminado há tempos. Mas as eleições municipais de 2012 acabaram de começar.

O que será Curitiba daqui a 4 anos? Ou, em um exercício de imaginação mais largo, daqui a 20 anos?

A prioridade dada ao transporte individual motorizado, aos interesses dos grandes empresários e à maquiagem da realidade continuará e tornará a cidade pior. Daqui a 4, 8 ou 20 anos a discussão nas eleições continuará pautada no trânsito.  E a bicicleta e modais sustentáveis, o interesse da maioria da população e a transformação verdadeira da realidade continuarão a serem colocados de lado.

A bicicletada tem sido um movimento vigoroso e intenso na crítica da realidade da cidade que (proporcionalmente) tem mais carros no país. Mas está perdendo. E continuará perdendo.

Afinal, a forte indústria automobilística e seu poderoso marketing (atrelado às facilidades de crédito) é intensamente mais poderosa que algumas centenas de pobres ciclistas que pedalam reinvindicando o óbvio nos últimos sábados do mês.

Curitiba continuará deixando o planejamento a médio e longo-prazo de lado em troca de pseudo-soluções urbanísticas como cortar praças ao meio e transformar ruas tranqüilas em perigosos binários.

Perdemos. E continuaremos perdendo.

Mas não quero escrever isto com um tom pessimista e muito menos alarmista. Pergunto, ao contrário, qual é o problema em estar perdendo?

Os holandeses do Provo, que começaram toda essa história de bicicleta pelo planeta, se orgulhavam da idéia de que perderiam a batalha. E se divertiam com isso.

Celebramos em boa parte das datas cívicas de nosso país as heróicas batalhas perdidas da Inconfidência Mineira, Revolução Farroupilha ou mesmo da Guerra de Canudos. Enquanto vitórias poderosas como a Guerra do Paraguai geralmente nos são motivo de vergonha.

Tais derrotas parecem trazer na cultura e consciência popular mais prestígio do que vitórias formais e arranjadas. Qual é o problema em continuar perdendo?

Mesmo que o atual cristianismo de resultados pregue a necessidade de ser “mais que vencedor” (ou “prosperidade financeira” e que se ferre o seu próximo), mesmo que se declare o fim da História e o quanto mais nada há de ser feito, mesmo que a esquerda se mantenha calada enquanto o capitalismo se destrói por dentro… não vejo problema em perder com a consciência tranqüila. É preferivel a sincera derrota do que a vitória indo com todos para o mesmo buraco (em outras palavras, votar no líder das pesquisas “para não perder o voto”).

Se as eleições deste ano nos apontam para um futuro questionável, porque não sonhar com um resultado diferente para o futuro, mesmo que este esteja sempre depois da próxima curva?

Afinal, como dizia o poeta sobre as utopias,

Se as coisas são inatingíveis… ora!

Não é motivo para não querê-las…

Que tristes os caminhos se não fora

A mágica presença das estrelas!

vai, beto!

3, outubro 03-03:00 2008 às 5:24 pm | Publicado em curitiba | 2 Comentários

O slogan do candidato à reeleição como prefeito em Curitiba é o

Beto, Fica!

Embora dificilmente a situação seja diferente do que a frase afirme (confome já cantei aqui anteriormente), há bons motivos para não votar no Beto Richa conforme a maioria. É melhor tocá-lo da prefeitura.

Por isso eu digo:

E se for, já vai tarde.

rimas eleitorais parte II

11, setembro 11-03:00 2008 às 9:10 pm | Publicado em curitiba | 4 Comentários

Charge do Iotti.

Mais do mesmo. O Eloi Zanetti comentou que a cantora Dione Warnick, de passagem por Curitiba, reclamou para sua equipe que a televisão do camarim estava com defeito, pois só passava um programa. Ela deu risada ao explicarem o que era o Horário Eleitoral Gratuíto. Se entedesse português talvez risse mais ainda com algumas preciosas rimas. 

 

Chega de mentira / 

Vote na Cenira

 

Vote legal /

Vote Requidal

 

Bata o martelo /

Vote Gói Melo

 

Vote João Queirós /

O amigo de todo nós

 

Onze cem /

Onze cem /

Paulo Gonzaga/

Não tem pra ninguém

setembro das bicis

1, setembro 01-03:00 2008 às 3:41 pm | Publicado em curitiba | 4 Comentários

Dia 22/09 é o Dia Internacional sem Carro. Mas aqui em Curitiba está planejado um mês inteiro voltado à reflexão/ação/diversão sobre/para/com a bicicleta.

Confira a programação e agende-se.

Dia 01. Palestra com Claudio Olivier sobre Ivan Illich e a bicicleta – A Revolução se faz em Duas Rodas – na reitoria da UFPR – anfiteatro 101 / 19hs

Dia 02. Oficina de Modelagem com Fernando Rosenbaum. Participe da criação de uma escultura coletiva de uma roda. Toda terça às 9hs no Centro de Criatividade do São Lourenço

Dia 04. Música Para Sair do Carro: diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs – Quintetinho e amigos

Dia 06. Oficina de Agroecologia Urbana – Govardhana. Rua Augusto Stresser, 207 – 10hs -GEAE

Dia 08. Debate sobre a malha cicloviaria de Curitiba com participantes da Bicicletada – na reitoria da UFPR – anfiteatro 101 / 19hs

Dia 09. Projeção do vídeo: O Cavaleiro Destemido – Franceis e Lucas . Esquina das ruas Treze de Maio com Presidente Faria – 18hs

Dia 11. Música Para Sair do Carro – diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs – Caê Selector e Projeto Tábua

Reedição da obra BICI com Goto, colaboradores e Bicicletada de Curitiba – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs

Dia 14. Ação-Caminhada dos Jardins Transportáveis com a artista Leila Pugnaloni. Saída: Govardhana, Rua Augusto Stresser, 207 – 10hs – +Info. 3264-­5644

Dia 15. Palestra com o Núcleo de Psicologia do Trânsito da UFPR. Local: Reitoria da UFPR – anfiteatro 101 /19hs

Lançamento do Fanzine Gang das Ruas coordenado pelos artistas Rimon Guimarães e C. L. Salvaro

Dia 16. Abertura da Exposição Fotográfica “Menos Gasolina, Mais Adrenalina” no Café Zau do Juvevê 19hs

Dia 17. Cicloturismo Urbano até o Cachimba – junte seu lixo e venha levá-lo pessoalmente ao aterro sanitário. 9hs na Ciclofaixa da Augusto Stresser (na altura do numero 200)

Retratos, Intervenções urbanas. Os artistas Bruno Machado, Rimon Guimarães e Nicole Lima reeditam sua exposição “3”, dessa vez nas ruas. Ciclistas de estilo e suas respectivas bicicletas terão seus retratos afixados em “molduras” pela cidade.

Dia 18. Música Para Sair do Carro – diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs – Performance TAMO

Dia 20. Roda Gigante com Raphael Fernandes – Praça Santos Andrade, 10hs da manhã . Venha de bicicleta celebrar a liberdade, ajudando a formar um espaço autônomo, transformando pedaladas em dança. Uma grande roda de bicicletas servira como palco para uma apresentação de dança. Venha de bicicleta formar a roda da festa, a roda da dança, a roda da liberdade.

Dia da Bicicleta na UFPR – Praça Santos Andrade, 10hs. Passeio ciclístico intercampi – chegada no Centro Politécnico com shows, gincanas, bate-papo, venda de bicicletas e muita alegria. Ciclovida UFPR.

Dia 21. 1ª Pedalada do Yoga e da Não Violência. 8hs no Govardhana (Rua Augusto Stresser, 207) Venha celebrar a primavera e ahimsa, a não-violência defendida por Mahatma Gandhi.

Dia 22. DIA MUNDIAL SEM CARRO – EQUINOCIO DA PRIMAVERA

MARCHA DAS 1000 BIKES – Pedalada pacifica e não violenta pelas ruas do centro de Curitiba. Saída às 18hs do pátio da reitoria da UFPR

Vaga Viva na Rua XV de Novembro, 10hs (altura da Praça Santos Andrade)

Lixeira Viva, Intervenção no mobiliário urbano por Eduardo Feniman (Rua XV de Novembro e Mal. Deodoro – (depois do meio-dia)

Reorganizações Urbanas, Intervenções com o lixo e entulho da região central por gustavoprafrente e Beba Tistelli (na parte da tarde)

Conversa com os candidatos à prefeitura de Curitiba sobre a inserção da bicicleta na cidade. Auditório da Progepe – 14hs

Dia 23. Curso de Desenho para Ciclistas com Leila Pugnaloni. + Info. 3264-5644

Dia 25. Música Para Sair do Carro – diversas apresentações acontecendo na hora do rush para estimular os motoristas a saírem da bolha – Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs – Mistura Brava e Anomalia Antipoluição

“Venha PINTAR meu carro” – André Mendes oferece seu carro como suporte para quem quiser exercer sua criatividade. Cruzamento das Ruas Augusto Stresser e Barão de Guaraúna – 18hs

Dia 27. GRANDIOSA BICICLETADA de Setembro – celebração da rua, na rua, para o bem-estar da rua! Viva a rua! 10hs no pátio da reitoria da UFPR

Dia 28. Andante e Jardinagem Libertaria – uma caminhada livre por Curitiba para plantar arvores e desenvolver a psicogeografia. Saída da Reitoria da UFPR – 9hs

Dia 29. Palestra com Antonio Miranda do Ministério das Cidades sobre como anda a questão da bicicleta no Brasil. Local: Reitoria da UFPR – anfiteatro 101 / 19hs

Mais info: Arte Bicicleta Mobilidade 08

rimas eleitorais parte I

21, agosto 21-03:00 2008 às 5:51 pm | Publicado em curitiba | 10 Comentários

Ah, como eu gosto da propaganda eleitoral gratuíta! E não estou sendo irônico, eu gosto mesmo. Quando a tela da tv é invadida pela cor azul e aparecem gigantes as letras TRE, meu coração bate mais forte!

Da mesma forma que acompanho os discursos dos programas evangélicos sem que com isto esteja buscando prosperidade financeira, me divirto também analisando o discurso emoldurado pelo clima de gincana que acompanha os programas de rádio e televisão.

Charge do Orlandeli. Dica do Blog dos Quadrinhos.

E parte da diversão está na criatividade (ou na falta dela) de cada marketeiro e/ou candidato. Há quem prometa mundos e fundos (longe das funções de legislador e fiscalizador de um vereador), há quem faça propaganda do candidato a prefeito e não de si mesmo e há quem gaste seus preciosos segundos no ar afirmando, numa redundância vergonhosa, que é candidato a vereador em Curitiba. Mas sempre sobra muito espaço para as rimas, que pululam. Sem mais comentários, eis o melhor da verve poética de nossos candidatos registradas com muito carinho:

Marcos Costa /

Esta é a resposta!

Pense com carinho /

Vote Jairinho

Com garra e determinação /

Vote Gerson Negão

Vamos mudar esta situação /

Para vereadora Jeni Galvão

Para vereador não se engane /

Vote Ernani

Para vereadora Yara /

a mulher que não pára

E o campeão até agora:

Oi, tudo bem? /

Você vota no Beto? /

Eu também /

Na minha campanha /

Nem santinho tem /

Vote Atalaia /

25100

Em breve mais pérolas.

como baixar um filme na tela do cinema

18, agosto 18-03:00 2008 às 10:41 pm | Publicado em curitiba | 2 Comentários

A internet tem me saído melhor que encomenda (na verdade se tivesse que encomendar algo com a internet, não conseguiria imaginar nada além dos e-mais e de jogos online). A última coisa maravilhosa que está aparecendo (e que parece ter um futuro promissor) chama-se MovieMobz. Tem sido chamado de orkut do cinema, mas é muito mais do que isso.

O site une seus membros em torno de filmes digitais de interesse comum. Assim que há quorum suficiente para fechar uma sala de cinema, fecha-se a sala de cinema e o filme é exibido no mundo real. Quanto mais gente participa, mais barata fica a sessão agendada. (A explicação detalhada de como a coisa funciona está muito bem aqui.)

Em tempos de DVD pirata e downloads velozes, uma saída interessante para salvar a telona da queda generalizada de bilheteria trazendo um dos maiores vilões (a internet, que consegue muitas vezes ser mais rápida que as cópias em estréia) como aliado.

E, de quebra, permite o encontro pessoal físico na nossa realidade cada vez mais virtual e a volta em cartaz de algum filme que, no máximo, poderiam ser visto em uma tela plana ou em uma amostra de cinema alternativa.

E é por isso que gosto da internet! Graças ao MovieMobz vou poder assistir no cinema Persépolis que, embora eu estivesse louvo para assistir,  ficou só uma semana em cartaz e, perdendo a chance, já estava conformado. É a primeira sessão do site em Curitiba, a acontecer amanhã no Unibanco Arteplex.

Alguém duvida que isto é melhor que download?

« Página anteriorPróxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.