um Phineas Cage brasileiro?

31, março 31UTC 2009 às 5:40 pm | Publicado em psicologia | 3 Comentários

A essa altura do campeonato, todos já conhecem a história do mergulhador Emerson de Oliveira Abreu que teve acidentalmente um arpão cravado em sua cabeça durante uma pesca submarina. O que surpreendeu foi a iniciativa e a desenvoltura ao procurar auxílio, apresentando cognição, motricidade e linguagem preservadas e, ainda mais, a preservação de todas estas funções após a cirurgia de retirada do arpão.

Embora a mídia não divulgue com clareza os laudos médicos, parece que arpão acertou acertou as áreas órbito-frontais do cérebro (que fazem parte do famoso lobo pré-frontal). Segundo os médicos, “o acidente não atingiu áreas nobres“, o que significa nenhum prejuízo grave após o acidente, afinal ele continua consciente, falando e se movimentando normalmente.

Será?

Impossível não lembrar do talvez mais famoso caso da história das neurociências (ele disputa com o H. M. em popularidade), Phineas Cage. Cage teve seu crânio atravessado por uma barra de ferro e, mesmo assim buscou consciente auxílio médico e não teve nenhuma  sequela visível: falava, se movimentava e fazia uso da consciência normalmente. Mas algo mudou. Cage perdeu junto com a massa encefálica da região pré-frontal seu freio inibitório: passou a ser mais relapso, a falar palavrões sem censura alguma e não concluir atividades iniciadas, entre outros sintomas. A ciência descobria a função desta área até então desconhecida do cérebro.

tn_620_600_arpao_310309O cérebro de Emerson Abreu.

.

phineas-cageO cérebro de Phineas Cage.

.

Em ambos os casos, as mesmas áreas cerebrais envolvidas. Embora alguns já tenham relacionado os casos (aqui e aqui, por exemplo), impressiona a falta de importância atribuída ao pré-frontal. É curioso como os médicos de Emerson descrevem a área como pouco nobre. A última região cerebral a se desenvolver tanto na espécie humana (filogenéticamente ) como em cada pessoa em particular (ontologicamente) é uma das mais frágeis (é a primeira região, por exemplo, a se “desligar” durante o consumo de álcool; explicada a desinibição do bêbado), porém responsável pelas nossas mais elaboradas funções cognitivas, como o planejamento.

Os possíveis efeitos do acidente no mergulhador não aparecerão em uma tomografia ou ressonância. Mas em uma avaliação neuropsicológica. Espero que Emerson passe pelo procedimento. Senão, teremos perdido a oportunidade de estudar um caso com uma semelhança ímpar a um caso clássico das neurociências.

Anúncios

a hora do planeta

26, março 26UTC 2009 às 9:24 pm | Publicado em sem categoria melhor | 3 Comentários

horaplaneta.

Só lembrando, sábado às 20h30, não esqueça de apagar a luz.

enlevamento

24, março 24UTC 2009 às 4:46 pm | Publicado em desenhos | 1 Comentário

enlevamento

festival de Curitiba

23, março 23UTC 2009 às 9:15 pm | Publicado em curitiba, histórias verídicas que realmente aconteceram | 1 Comentário

tudo_q_vc_veNO SALÃO DE BELEZA

CABELEIREIRA 1

– Pronto, terminei. Pode vir, querida, pode se sentar.

.

CLIENTE, tomando assento, sorridente.

– Ah, obrigada. E aí, alguém vai no Festival de Teatro?

.

CABELEIREIRA 1 e 2 se entreolham, desconfiadas

CABELEIREIRA 1

– Não sei… acho que não. Quantas peças que tem?

.

CLIENTE

– Ah, tem milhares! De tudo quanto é tipo…

.

CABELEIREIRA 2

– É que não é muito do meu gosto.

.

CABELEIREIRA 1

– Ah, mas tem aquela mulher do Zorra, como é que é, a do Leite Quente…

.

CABELEIREIRA 2

– Isso, a Lady Kate! Parece que ela vai se apresentar. Esse teatro deve ser legal!

.

CLIENTE

– Ué, mas não é a mesma coisa que assistir na televisão? Pra ver a Lady Kate eu ligo a televisão no sábado e vejo de graça…

.

CABELEIREIRA

– Então… é por isso que eu não vou no Festival.

o fim

19, março 19UTC 2009 às 8:36 pm | Publicado em desenhos | 3 Comentários

acabou

mire o muro III

17, março 17UTC 2009 às 5:48 pm | Publicado em curitiba, fotos fodásticas (ou nem tanto) | 2 Comentários

Depois de acompanhar as discussões  nos muros da cidade uma vez e outra, resolvi olhar também para as placas.

.

carnecrime

.

Sobre a propaganda e a anti-propaganda.

.

pare1.

Sobre o ar que respiramos e a estupidez humana.

.

circulacao-comparilhada.

Sobre a lentidão do pedestre ou a velocidade da bicicleta.

.

p21602531

.

Sobre um pedido educado que inclui um “palavrão”.

.

bicicletada noturna

9, março 09UTC 2009 às 7:51 pm | Publicado em bicicleta, curitiba, desenhos | 3 Comentários

batman

a hora do ângelus

4, março 04UTC 2009 às 6:44 pm | Publicado em fotos fodásticas (ou nem tanto) | 2 Comentários

Há quem veja Nossa Senhora em manchas de detergente na janela, há quem veja o futuro na borra de café, há quem veja carneiros nas nuvens, há quem veja um morcego em uma prancha de Rorscharch. Esta semana eu vi que um anjo sem face pousou na minha sacada.

anjo

Para quem não conseguiu ver o anjo, segue uma dica abaixo.

anjo1

Mais que uma intervenção divina, a imagem parece ser intervenção do vizinho de cima que jogou alguma coisa pela janela. O anjo não está indo embora com o sol forte desta semana. Vamos ver se quando começar as chuvas ele se mantém no ar.

6 coisas secretas ou nem tanto sobre a minha vida

3, março 03UTC 2009 às 5:42 pm | Publicado em sem categoria melhor | 6 Comentários

dark_secrets___

Fiquei devendo para o Catatau esta corrente. Eis alguns pequenos segredos revelados deste blogueiro que vos escreve. São algumas coisas embaraçosas, ou não, que mostram o quanto nós nos transformamos, ou não.

  1. Durante a adolescência, pensava seriamente em me tornar padre.
  2. Eu assisto aos desfiles das escolas de samba de Curitiba. E gosto.
  3. Sou um poeta mercenário. Sempre escrevia poemas para os concursos literários da escola. Cheguei a ganhar dois. Depois que  os concursos acabaram, se escrevi espontaneamente mais uns cinco até o presente momento, foi muito.
  4. Eu assisto aos programas evangélicos neopentecostais que passam à tarde na televisão. São hipnóticos e rendem uma boa análise do discurso.
  5. Eu fiz curso de datilografia. Trabalhava digitando o trabalho de colegas no Ensino Médio. Para alguns fazia o trabalho todo (eu gostava do título ghost writer), que na é poca consistia em inventar uma introdução e uma conclusão e copiar o desenvolvimento de algum livro.
  6. Eu votei no Collor.

.

Passo para frente. Silvio, mattiapascal e Angelo, quais são as 6 coisas secretas ou nem tanto de suas vidas?

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.